Histórico

NANUQUE 
(antiga PRESIDENTE BUENO)
Município de Nanuque, MG

E. F. Bahia-Minas – km 171,420 (1960)

BA-3560

Inauguração: 30.03.1918

      nanuque9601

                                                            

Nanuque

Minas Gerais

Histórico

A região que compreendia o município de Nanuque, desde o descobrimento do Brasil, atraía, demasiadamente, as atenções portuguesas, embora a presença dos ferozes índios Botocudos (Nak-Nucks, Giporoc, Pataxós, Machacalis, Potés, etc),impedissem a exploração adequada do local.

O Sr. Teófilo Benedito Otoni teve uma idéia em relação à região inóspida, habitada pelos ferozes Botocudos: submeteu o plano de sua Cia. de Comércio e Navegaçãodo Rio Mucuri à consideração do Governo Imperial, que assinou parecer favorável a 31 de março de 1874. Ele larga do rio, a 4 de setembro do mesmo ano a bordodo Princesa Imperial, chega à Vila de São José do Porto Alegre (atualmente Mucuri-BA) e depois prossegue até as proximidades de Santa Clara. A inavegabilidade do Mucuri a partir de Santa Clara não o desanimaria , e sua Cia. de Navegação efetivada pelo Decreto n° 802 de 12/07/1851, passaria a construir estradas. Depois da Cia. de Comércio e Navegação do Mucuri, sob responsabilidade de Teófilo Otoni, outro empreendimento, tendo a frente o engenheiro Miguel de Teive e Argolo, seria propulso-civilizador do Mucuri. Em 25/10/1878, a Lei mineira de n° 2.775 e a baiana de n° 1.946, de 28/08/1879, davam origem a Estrada de Ferro Bahia-Minas, que só se iniciou a 25 de janeiro de 1881, tendo a 9 de novembro do mesmo ano quase 143 km em tráfego.

A região ficou conhecida como Sete de Setembro, devido a um córrego com este nome, que desembocava no rio Mucuri, na fazenda Cachoeira, de propriedade de Antônio Barroso, no km 170 da Estrada de Ferro Bahia-Minas, onde as locomotivas passavam, quando em trânsito, para se abastecerem de água e lenha , exatamente no pontilhão. O serviço era feito por intermédio de baldes, não haviabombas nem caixa d’água. Depois, por construírem uma Caixa D’água, entre a atual e a estação da EFBM, a localidade adotou esta denominação, assim permanecendo durante algum tempo.

Em 1911 o armador João Américo Machado, depois arrendatário da EFBM, fez uma visita a Caixa D’água e entendeu-se com a família Schieber adquirindo terrenos por quinhentos mil réis para instalar uma grande serraria. Ao retornar, João Américo veio de uma só vez com vasto material e ferramentas, famílias de nacionalidades diversas, operários de várias especialidades e um carro da Estrada de Ferro que foi transformado em estação e nele instalado um aparelho Morse. Com a inauguração da Serraria Industrial do Mucuri, a 7 de Setembro de 1912, consagrou-se esta data como de fundação do povoado Caixa D’água. O carro-estação telégrafo assim funcionou até 30 de julho de 1918 quando inaugurava-se a Estação Presidente Bueno, homenageando a Bueno Brandão ao assumir o governo do Estado . O nome seria extensivo à localidade por alguns anos.

Em 1920 introduziu-se uma grande serraria automática, sob a administração de Trajano de Medeiros e Cia. quando se construiu um ramal rodoviário que saía de Chapadinha , atravessava por uma ponte, que prosseguia margeando o rio. Seis anos depois uma enchente levaria a ponte da Estrada de Ferro de Trajano, passando a travessia a ser feita por um cabo de aço ligado a duas torres nas margens do rio.

Gentílico: Nanuquense

Divisão Administrativa

Pela divisão administrativa efetivada em 3 de setembro de 1923, o Distrito de Aimorés teve seu nome modificaddo para Indiana. Pela Lei n° 148, de 17/12/1938, o Distrito de Urucu passa a município com o nome de Carlos Chagas englobando o Distrito de Indiana, cuja sede se transferiu de Aimorés para Presidente Bueno, que passa a adotar o nome de Vila Indiana, devido a seu grande desenvolvimento.

Pelo Decreto-Lei Estadual n° 1.058 de 31/12/1943, Indiana teve seu nome alterado para Distrito de Nanuque, cujo nome significa bugre de cabelos lisos e negros. Em 27/12/1948, pelo artigo 3° da Lei n° 336, o distrito de Nanuque é elevado a categoria de município, que foi instalado no dia 1° de Janeiro de 1949 pelo Sr. Arlindo de Almeida Castro, juiz de paz, no exercício do cargo de Juiz de Direito da Comarca de Carlos Chagas. O Dr. Oduvaldo dos Santos Pinto, intendente, deu posse ao primeiro prefeito a 2 de Abril do mesmo ano, o Sr. Franz Schapper.

O município de Nanuque possuía dois destritos: o sede e o de Serra dos Aimorés, que em 30/12/1962 alcançou autonomia municipal pela Lei n° 2.764, sendo instalado a 1° de Maio de 1963. Houve retificação de Divisas do Município de Nanuque, comprovando-se que o Distrito de Vila Pereira, pela Lei n° 663, de 25 de Novembro de 1953, pertencia ao município de Nanuque e não ao município de Carlos Chagas.

Atualmente, Nanuque conta com o Distrito-sede, o de Vila Pereira e com o povoado de Vila Gabriel Passos criado pela Lei Municipal n° 273, de 18/12/1963, e assim denominado pela Lei Municipal n° 315 de 2 de Julho de 1965.

Economicamente conta com o comércio, prestações de serviços, indústrias ( frigorífico e usina de álcool anidro e fábrica de açúcar), na agropecuária o município se destaca pela criação de gado bovino de corte e leite.

Fonte: Livro: Nanuque, seu povo, sua história.(1986) Ivan Claret Marques Fonseca IBGE

HISTORICO DA LINHA: A E. F. Bahia a Minas começou a ser aberta em 1881, ligando finalmente Caravelas, no litoral baiano, à serra de Aimorés, na divisa com Minas Gerais, um ano depois. Somente em 1898 a ferrovia chegaria a Teófilo Otoni, e em 1918, a Ladainha. Em 1930 atingiu Schnoor. Em 1941, chegou a Alfredo Graça, e, em 1942, chegou em Arassuaí, seu ponto final definitivo. A ferrovia originalmente pertencia à Provincia da Bahia; em 1897 passou a ser propriedade do Estado de Minas Gerais, para, em 1912, passar a ser administrada pelos franceses da Chemins de Fer Federaux de L’Est Brésilien até 1936, retornando nesse ano a ser uma ferrovia isolada. Em 1965, foi encampada pela V. F. Centro-Oeste e finalmente extinta em 1966. Embora tenha havido planos para a união da ferrovia com a Vitória-Minas, tal nunca ocorreu e ela permaneceu isolada.

nanuque9631mod

A ESTAÇÃO: A estação de Nanuque foi aberta com o nome de Presidente Bueno, em 1918. Na foto antiga, abaixo, vê-se atrás da estação a serraria Mucuri. O prédio da estação foi derrubado para construção da atual praça dos Pioneiros.

nanuque-peq

nanuque9301-peq

 nanuque9501-peq

 A estação, em foto sem data, no mesmo estilo de outras estações da ferrovia, mas com um torreão do lado esquerdo. Atrás, a serraria. Foto Jean Albuquerque

A estação, ainda como Presidente

Bueno, talvez anos 1930.

Autor desconhecido

A estação, sem data. Autor

desconhecido

 

 

Botão Voltar ao topo
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
X
Click to listen highlighted text!